O estrago populista no Brasil

Acho que não podemos comparar governos. Primeiro porque épocas distintas, fatores exógenos e conjunturais mudam as referências. Segundo, todo governo, em tese, é bem-intencionado e tentará fazer as coisas da melhor forma possível. Por pior que tenha sido, sempre existirão erros e virtudes.

Acho desonestidade intelectual, a não ser que criemos referências e variáveis econômicas, mesmo assim existirá fatores conjunturais a influenciar estas variáveis e demandaria um estudo mais aprofundado em cada uma delas.

Existem vários estudos nessa direção. Vou citar uma aqui e mostrar através de gráficos e deixarei a avaliação do leitor a sua opinião sobre o que o PT e o populismo fizeram com o Brasil. Não vou falar em corrupção, a maior da nossa história e, segundo alguns da humanidade. A corrupção foi fator sim e tem sua parcela de culpa, mas é caso de polícia. O restante vou resumir em duas palavras: incompetência e irresponsabilidade. Para mim bastam.

Vamos lá, só pelos gráficos:

Superávit/Déficit primário:

Nota: O governo atual reduziu um déficit estimado de R$ 139 bilhões para R$ 80 bilhões. Longe do ideal, mas mostra de a casa está sendo arrumada.

Inflação:

Nota: A inflação projetada para 2019 está em 3,3% e 2020 4,5%. Das mais baixas de nossa história.

As pedalas:

Manipulação de dados, irresponsabilidade total que culminou no impeachment da Dilma.

O “modelo desenvolvimentista’:

Estima-se o rombo de R$ 323 bilhões até 2060. Dinheiro tomado caro no mercado e emprestado barato para grandes empresas principalmente. Depois dos escândalos da Odebrecht, JBS e de Ike Batista descobrimos a quem o “modelo” serviu de verdade. Sem falar os empréstimos externos a países de alto risco e camarilhas com o calote líquido e certo.

Dívida Pública:

Hoje em 70% do PIB, mas algumas considerações a serem feitas sobre a contabilidade das reservas e da atuação do BC no câmbio, que de certa forma amenizam o indicador.

O importante aqui é detalhar que o governo gastou mal e teve que recorrer ao mercado para pagar suas contas.

Juros

Temos hoje os juros mais baixos de nossa história: 4,5% a.a.

O aumento dos juros se deu pelo mal-uso das despesas e a ameaça inflacionária. Estima-se que o serviço da dívida consuma perto de 50% de nossa arrecadação. Poderíamos fazer muito com esses recursos se fosse bem administrada as finanças públicas. Os juros atuais reduzem significativamente o impacto nas contas púbicas.

Nossa dívida em janeiro de 2019 era de R$ 3,87 trilhões; valor é o maior da série histórica.

Recessão:

A pior recessão de nossa história, perde para a crise de 1929 (pós crash da Bolsa de NYC) e 1981 (crise do petróleo de 1979).

O fruto disso é o desemprego na faixa de 12%, altíssimo, com 25% para os mais jovens.

Crescimento PIB comparado a situação mundial:

Comparação desde 1901 conforme os gráficos anteriores retratam bem nossa posição.

Fontes: http://www.ilisp.org/artigos/13-graficos-que-mostram-como-dilma-rousseff-e-o-pt-destruiram-o- brasil/?fbclid=IwAR0nNKisrcTUJVkIe90Fid2jp8LGwQq87FqTzHvZYabx9t_omn4Wj3JpEbg

http://www.mercadocomum.com/

O boom das commodities dos anos 2000 foram desperdiçados, estamos perdendo o bônus demográfico e o desemprego precisa ser estancado.

O Brasil precisa arrumar suas finanças públicas, fazer as reformas necessárias e urgentes.

Não adianta tapar o sol com a peneira e a melhor forma de consertar os erros é aceitar e entender que erramos muito, desde a CF de 88.

Os dados estão aí, fica para o leitor tirar suas conclusões.

As falácias não se sustentam, o tempo as consome.

Como disse várias vezes, esse período será julgado de duas formas. Pelas páginas da política e pelas páginas policias e já imagino o veredito da história mais adiante.

Simples assim.